A maioria dos discursos de ano novo começa com aquele “finalmente, mais um ano termina”, porém, o meu não vai começar assim não: posso estar feliz que o ano acabou, mas não estava desesperada para que acabasse tão rápido assim.

Sim, foi um ano de descobertas incríveis na minha vida. Todas ajudaram com que eu me percebesse como mulher, ganhando meu próprio espaço dentro de casa e, o mais importante, tendo controle absoluto sobre minhas escolhas, meu próprio corpo, minha sexualidade.

Pois é, meu ano foi assim e estou feliz com isso! Explico: depois de passar uns perrengues que envolviam dinheiro dentro de minha própria casa, por volta de abril de 2014, tomei algumas decisões que viriam a me ajudar a resolver esse pequeno probleminha.

Meu marido acabou sendo demitido e, com isso, as contas de casa começaram a ficar atrasadas, discutíamos todos os dias por causa da falta de dinheiro. Já não fazíamos mais sexo, ele não me respeitava como mulher, não permitia que eu me permitisse.

Todo esse estresse tinha deixado-nos distantes um do outro e isso era péssimo. De um dia para outro, percebi que tinha casado com um cara completamente diferente do que vinha convivendo nos últimos anos.

Sinceramente? Achei que meu casamento de dez anos fosse acabar e sim, foi por pouco.

Mas, como dizem, quando uma porta se fecha, abre-se outra; ao conversar com uma amiga dos tempos de escola, fui apresentada ao site que ajudaria a melhorar meu casamento, pagaria minhas contas de casa e ainda faria com que minha autoestima elevasse a níveis maravilhosos.

Sim, Ana comentou sussurrando que tinha encontrado um jeito de ganhar dinheiro pela internet, somente com o poder da sedução, de seu corpo e charme e terminou falando o quanto isso tinha mudado sua vida.

Paty Pimentinha, uma das  camHot girls gostosas do Camerahot!
Paty Pimentinha, uma das camHot girls gostosas do Camerahot!

Fiquei curiosa! Eu e Otávio não tínhamos mais opção, então resolvi me aprofundar no que ela dizia!

Explicou-me que o que fazia era conversar na webcam com rapazes de todas as idades, alguns bem jovens, outros bem mais velhos, mas todos ali buscavam a mesma coisa: uma boa conversa… uma mulher sensual… uma mulher que tivesse todo o empoderamento de seu próprio corpo e sexualidade.

A um primeiro instante, assustei-me. “Será que Ana é prostituta?”, me peguei pensando em silêncio e como se ela lesse minha mente indignada, respondeu rapidamente: “e o melhor, nós do Camerahot, não somos prostitutas. Não saíamos com nenhum usuário, ninguém toca nosso corpo e, sim, há o maior respeito entre os usuários e as camHot girls!”

CamHot girls? Ah! Então é esse o nome das meninas lindas que ficam ali esperando alguém para conversar? Achei bacana!

Ana me disse que o melhor era que eu visse com meus próprios olhos, porque explicar era difícil. Pediu para que eu abrisse minha mente, livrando-a de todos os preconceitos concebidos desde a infância; aquele era um universo completamente novo e excitante.

Ligou seu computador, arrumou a distância da webcam e, ao voltar do banheiro, vestia uma das lingeries mais lindas que já tinha visto até então.

Fiquei envergonhada. Eu não usava uma lingerie daquelas há muito tempo… meu marido devia sentir falta, EU sentia falta. E vendo ela logar no site Camerahot.com me fez perceber que talvez fosse realmente aquilo que eu precisava.

A webcam fazia um quadro em que pegava seus lábios de batom vermelho, os cabelos loiros caídos sobre o ombro, os seios, barriga e cintura. Perguntei porque não mostrava o rosto, ela disse que preferia assim, mas que havia muitas garotas que mostravam e não tinham problema.

Bruninha Fitness é uma das meninas que mostram o rosto durante o chat@
Bruninha Fitness é uma das meninas que mostram o rosto durante o chat!

Ficamos ali por algum tempo. Ela sentada em frente a webcam e eu mais ao lado, fora do campo de visão da webcam. Minha amiga dava leve mordidas nos lábios, umedecia-o com a língua, digitava algumas palavras com usuários que entravam em sua sala, até um deles pedir que fossem para o privativo.

Confesso ter ficado nervosa naquela hora, mas, continuei observando tudo e, mentalmente, anotando todos os trejeitos daquela minha amiga para que pudesse tentar mais tarde.

Ela perguntava sobre a rotina e o trabalho de Rodrigo, nome falso, conforme pude constatar depois. Conversavam como se já fossem íntimos faz tempo. Papo vai, papo vem, ele pediu para que ela tirasse o sutiã e tocasse seus seios.

Lentamente ela desamarrou a peça e deixou-a cair, sem tirar os olhos da webcam. Tocava o bico já enrijecido dos seios, que eram belos por demais, e enquanto fazia isso, a única coisa que Rodrigo fazia era chamá-la de linda, gostosa. Dizia que aqueles eram os seios mais lindos que já tinha visto.

Ela ria, timidamente, ou talvez fingia timidez. Mais pra frente fui descobrir que fazia parte de seu personagem: ela era do tipo “namoradinha”, ou seja, aquela que os usuários procuravam para conversar, se abrir e, depois, ter um plus vendo um belo corpo sensualizar como uma menininha tímida.

Apesar do medo, achei aquilo muito sensual e via pelo rosto de minha amiga que ela também estava gostava e muito daquela conversa.

Quando a conversa estavam chegando ao fim, ela resolveu me apresentar para Rodrigo. “Sabia docinho que tem uma amiga minha aqui também e ela é lindíssima”, disse ela e no mesmo instante comecei a tossir.

Ele pediu para me ver, tentei impedi-la, mas já era tarde demais. A webcam estava diretamente apontada para mim, sem que meu rosto aparecesse. Rodrigo disse que eu realmente era muito bonita e que ficaria muito feliz em conversar em uma sala só minha.

Bárbara Mendes bate um bolão no Camerahot!
Bárbara Mendes bate um bolão no Camerahot!

Agradeci com aquele meio sorriso tímido e fui para casa. Milhares de informações batucavam em minha mente; a falta de dinheiro, a falta de sexo, a baixa autoestima… tudo ali estava em jogo.

Antes de conversar com meu marido, resolvi ler mais sobre o site e fazer o cadastro. Descobri que cada usuário paga para poder conversar com as meninas e, desse valor, 65% era repassado para nós, as belas camHot girls, a cada semana.

Não posso dizer que não fiquei tentada. Entrei em contato com os administradores, fiz meu cadastro e percebi que o site era realmente seguro e que eles iam me ajudar com tudo.

Num instante já tinha minha própria sala, meu personagem e toda a disposição para me redescobrir como mulher.

A noite, enquanto meu marido fazia um bico, resolvi entrar. Não tinha uma lingerie bonita como a de Ana, porém, a que tinha era o suficiente. Em poucos instantes quinze usuários já haviam entrado em minha sala.

Comecei, ainda tímida, a conversar com eles e percebi que sim, eles queriam também conversar e sempre eram gentis, elogiando meu corpo, minha pele, meus cabelos sobre os ombros.

Rodrigo, sim, o mesmo que falará com Ana na noite anterior também estava lá. Pediu para que fôssemos para o privativo e assim eu fui.

Ele deixou-me a vontade e, quando vi, estava tirando a lingerie, rebolando para ele, tocando meu corpo… sentindo um prazer que não sentia há muito tempo.

Ao término do bate-papo eu estava exausta. Era tudo novo para mim. Uma pontinha de culpa martelava em meu ouvido, precisava contar para meu marido e precisava que ele aceitasse essa minha escolha, afinal, eu havia gostado.

No dia seguinte, enquanto almoçavamos, contei tudo que tinha me acontecido. Ele ficou chocado, achando que eu ia fazer programa e não aceitou, porém, expliquei como funcionava e ele começou a entender.

Pediu para assistir a essas conversas para ver como funcionava e, nessa noite, entramos na sala juntos. No meio da conversa, contei que meu marido também estava ali e um dos usuários ficou muito feliz. Maicon pediu para ir no privativo, mas que meu marido também fosse… ele gostaria de ver a gente fazendo sexo.

Assimilamos a informação e, no auge, resolvemos aceitar.

Gente, foi o melhor sexo da minha vida!

De repente parece que meu marido passou a me ver como mulher novamente, ter tesão e me desejar. Trepamos como não trepávamos há muito tempo e foi uma delícia.

Decidimos ali, depois de gozar, que faríamos isso juntos.

Foi aí que meu ano de 2014 começou a melhor. Ganhávamos uma boa grana para fazer nossos shows em casal, meu marido sentia tesão em mim e me desejava cada vez mais.

Pude ajudar com as contas da casa, comprar lingeries novas, pagar umas aulas de pole dance para aprender a sensualizar melhor e ainda manter meu marido ao meu lado.

Salvei nosso casamento! Salvei nossas contas! Salvei minha autoestima! Por isso digo que o ano de 2014 podia não acabar, mas como tem que acabar, que 2015 seja muito melhor… com bastante Camerahot, bastante sexo e, o melhor de tudo, bastante dinheiro e amor.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui