camgirl,smartphone,ceulular,app

Pode ser que você me ache um pouco atrasada quanto às atualidades dos relacionamentos proporcionados pelos aplicativos de namoro, mas vou contar minha história mesmo assim.

Se você ainda não conhece o OkCupid faça-te um favor e o procure. Não só procure, crie seu perfil e responda as perguntas.

Depois deixe tudo rolar naturalmente. Assim como rolou comigo. Quer dizer, como rolou comigo e o André.

Me inscrevi no OkCupid mais para conversar com caras que realmente tenham afinidades comigo, seja em gosto para filmes ou sexo, claro.

E todos os papos fluíram bem legal, melhor que no Tinder, mas o André tinha quase 100% de afinidade comigo em sexo e eu não podia deixar isso passar.

A parte ruim: ele estava morando fora do Brasil. Ainda assim decidi insistir, porque eu podia estar próxima de ter o melhor sexo virtual da minha vida.

Começamos a conversar diariamente para nos conhecermos melhor. Afinal, ele tinha quase 100% de afinidade comigo em SEXO e estava em outro país.

A foda tinha que ser maravilhosa porque eu não queria espera-lo ou ir visita-lo. Era só sexo.

Por mais que eu quisesse foder com ele, nossa conexão era enorme, parecíamos amigos de longa data, parecia que éramos namorados que terminaram, mas ainda se amavam.

No fim da primeira semana de papo, comecei a apresentar pro André meus brinquedinhos sexuais:

1º. meu pênis maciço gigante que chamo de Carlão. Ele achou lindo eu usar nenhum lubrificante para socar na minha buceta apertadinha toda a largura do delicioso “Carlão”;

2º. o plug anal com controle remoto que adoro enfiar no meu rabinho bem lentamente. É enlouquecedor senti-lo me abrindo e pulsando dentro de mim. Gozo escandalosamente muito rapidinho;

3º. meu amado Nora. Esse eu escolhi porque até então o André só me observava. Ele sequer tinha mostrado o pau dele, mas me excitava muito com a cara de safado que ele fazia enquanto eu me fodia pra ele.

Senti que precisava de uma interação mais forte com ele e senti que eu amaria finalmente ver o pau dele. Por isso o apresentei ao Nora.

Os homens piram com a possibilidade de controlar manualmente o prazer da mulher. Então, expliquei como esse brinquedinho funciona e deixei bem claro que queria senti-lo mais presente comigo.

No horário combinado quem estava com uma piroca linda, enorme e latejante na mão? O André. Lindo, grande e pulsando como se estivesse me sentindo ali junto dele.

A única coisa que ele falou “liga”. Eu que já estava toda molhadinha fiquei ensopada com aquela voz grossa dele sendo direto porque estava desesperado pra me comer.

Não precisei de mais nada além daquele caralho gostoso sendo alisado na minha frente.

Com uma mão o André mandava na bronha com uma sensualidade! Senti que ele segurava para não gozar, batia com o caralho na mesa, esfregava só a cabecinha… uma delícia vê-lo se controlando.

E com a outra mão ele me controlava.

A cada gemido meu sentia o safado se descontrolando porque o André urrava enquanto se masturbava. Urrava, aumentava a vibração do Nora, me ouvia gemer, batia uma, urrava, mudava a rotação do Nora, me ouvia sussurrar que queria o pau dele em mim, socava a piroca e urrava…

Quando eu estava com o clitóris ardendo de tanto tesão, enfiei meu plug anal e meti o Nora na buceta com tanta pressão que gozei em 5 segundos seguidamente.

Foi só aí que o André falou sua segunda palavra e esporrou gostoso na frente do computador…

Bom, continuo falando com o André, mas estou com o Paulo na lista. Afinal, deu 91% de compatibilidade no sexo 😉

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui