bondage

Um dos fetiches mais antigos da humanidade é conhecido como shibari ou bondage japonês. O fetiche em amarrar ou ser amarrado conquistou os quartos BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) de mundo todo e o CameraHot conta tudo que você precisa saber para começar.

Séculos antes de se tornar instagramável e popular aqui no ocidente, os japoneses utilizavam a corda em rituais religiosos, peças de teatro e ilustrações eróticas como O Sonho Mulher do Pescador (uma mulher totalmente enrolada por polvos).

Vale lembrar que satisfação com as cordas e objetos de repressão tem forte paralelo com correntes medievais, as cordas foram muito utilizadas para reprimir os prisioneiros no Japão – o resto das histórias de fetiche ligados à opressão você já deve imaginar.

Na boa e velha dominação, aprenda os passos básicos para a amarração erótica.

3 passos para começar no fetiche em amarrar

O material

Na prática tradicional do shibari, o mais comum é o uso de corda de algodão macio ou juta, aproximadamente de oito metros de comprimento. Assim prende mais partes do corpo e mais firme também.

CameraHot Bondage Fetiche em Amarrar Ropes Instagram
(Foto: @Ropes Instagram)

A criatividade prevalece para qualquer fetiche, então roupa de cama, lenços ou um rolo de esparadrapo podem servir também. Pra quem já assistiu “50 Tons de Cinza“, a gravata já é praxe e atiça a cabeça delas.

CameraHot Bondage Fetiche em Amarrar Jon das Cordas Instagram
(Foto: @jon_das_cordas Instagram)

Para dar aquela apimentada na experiência, entram em jogo vendas para os olhos, açoites, palmadas, diversos brinquedos e as mudanças de temperatura – gelo, gel e até cera.

Precauções

Como todo bom BDSM, o bondage precisa de cuidados e confiança. O ideal é fazer em um ambiente seguro e que explore a intimidade, permitindo variar entre as práticas mais suaves ou mais agressivas.

CameraHot Bondage Fetiche em Amarrar Jon das Cordas Instagram (2)
(Foto: @srta_paulette Instagram)

Outras dicas para estar preparado é ter tesouras se necessário parar. O corpo pode reagir de formas diferentes, então cuide para os nós não apertarem a ponto de causar hematomas ou cortar circulação. Evite áreas macias demais, com articulação e, claro, o pescoço.

Existem chances de hiperventilação, enjoos, asfixia e desidratação (o que um copo de água já resolve). Amarrar e ser amarrado é uma escolha dos dois parceiros e, no momento que se isso torna desconfortável, deve parar de imediato.

Leia também: “Beijo Grego – os prazeres ao redor desse fetiche

A amarração

O processo do bondage não leva tanto tempo quanto parece, mas merece um bom preparo.

CameraHot Bondage Fetiche em Amarrar Jon das Cordas Instagram srta_paulette
(Foto: @srta_paulette Instagram)

As principais formas e posições são Ushiro (mãos amarradas atrás das costas), Takate Kote (amarração no tronco), Tsuri (suspensões), Hishi (amarração que cria formas de diamantes) e Matanawa (corda nas áreas genitais).

O segredo é praticar, já é muito fácil achar vários tutoriais de rope bondage na internet. Aqui vão alguns: atrás da nuca e cintura com genital.

E aí, se amarrou? Conta pro CameraHot qual seu fetiche preferido:

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui