sexo-tântrico-usa-as-mãos

Hoje resolvi escrever uma aventura sexual baseada em coisas que realmente aconteceram comigo, sabe? Pensei bastante antes de parar pra escrever meu novo conto e vi que minhas próprias histórias me excitam pra caralho. Aí resolvi compartilhar algo com vocês logo.

Eu estava em um relacionamento meio enrolado, de pura embromação e mais sexual do que afetivo. Um boy muito do tesudo, fortinho, inteligente, educado, tipo príncipe que não se encontra em qualquer lugar. Mas era só putaria mesmo e alguns encontrinhos bem ocasionais porque, afinal, carência bate em todo mundo, né.

Há algumas semanas fomos pra uma festa organizada por uns amigos dele. Eu sei que ele quis me levar apenas pra tirar uma onda com a galera, porque eu me encaixo perfeitamente no perfil de mulherão que homem gosta de mostrar que está comendo. E é claro que eu aceito essa condição enquanto tiro vantagens disso.

Chegamos no local, música alta e gente linda dançando. Bati a cara em umas quatro pessoas diferentes que eu gostaria muito de colocar minha buceta na boca deles. Uma delas era uma mulher incrivelmente gostosa, cabelo comprido, corpo bronzeado e escultural, usando shortinho que deixa a polpinha da bunda aparecendo e com uns peitões, uns peitões, minha gente! Passei até vergonha babando naquele decote provocante desejando lamber aquilo tudo na frente de todo mundo do trabalho do meu “príncipe”. Mas eu contive a ninfomaníaca dentro de mim e fui conversar com o namorado dela.

Um gostoso e educado, ficou fazendo meus drinks prediletos o tempo inteiro. Acho que ele já tinha sentido meu cheiro de puta louca de tesão no ar e quis mesmo é me deixar bêbada logo. Conseguiu! Nessa altura eu já estava dançando agarrada com ele e com a namorada dele, e meu “príncipe” já tinha rodado.

A noite caiu, e aí que todos os gatos ficam pardos, parti pra cima da gostosa da namorada dele na primeira oportunidade. Cheguei me esfregando nela enquanto dançávamos juntas, deixei ela rebolar de costas bem grudada na minha buceta, que a essa altura já estava encharcada de tão molhada, enquanto eu acariciava as coxas dela bem de levinho. Óbvio que quando ela virou nos beijamos deliciosamente, lambendo os lábios uma da outra.

Nessa hora o namorado dela já estava dançando junto com a gente, atrás de mim com um pau tão duro que dava pra sentir por debaixo do meu vestido.

A festa era em um sítio, com muitas árvores numa parte mais afastada. Não me aguentei e levei os dois pra lá porque eu estava com vergonha do meu “príncipe” aparecer e cortar o clima. Os dois queriam ir pra um motel ou foder ali no carro deles. Mas eu estava achando aquilo tudo tão delicioso que quis devorar os dois ali mesmo encostados em uma árvore que tinha o tronco em formato de V.

Encostei a gostosa na árvore e comecei a chupar o biquinho do peito dela enquanto eu esfregava minha perna direita entre as pernas dela, estimulando bem de leve e ao mesmo tempo com pressão o grelinho dela. Isso tudo só pra deixa-la mais molhada ainda e desesperada por qualquer coisa que eu fosse fazer naquela hora.

Acho que o namorado dela vendo a gente se pegar daquele jeito quis logo se divertir com a gente, abriu a bermuda dele e socou bem rápido a piroca dele que devia estar latejando. Foi tão gostoso e inesperado que dei um grito de prazer bem alto. Mas nem me importei porque estávamos afastados do resto das pessoas.

Ele nem tocou na namorada dele, mas pelas putarias que ele falava no meu ouvido, enquanto lambia bem devagar minha orelha, dava pra perceber que ele estava indo à loucura com aquilo. E eu adorando, ficando tão molhada que naquela posição nem doía as socadas que ele dava ora no meu cu ora na minha buceta.

Quando eu comecei a comer a namorada dele, colocando quase todos meus dedos naquela xaninha carnudinha, ele começou a lamber meu cu de uma forma tão deliciosa como nunca tinham feito antes em mim. Estávamos quase explodindo de tesão, sentindo aqueles apertos no peito, e claramente segurando pra não gozar, quando ouço alguém se aproximando. Era o “príncipe”. O safado me beijou com um tesão fodido e ficou se masturbando do nosso lado.

Parece que nenhum de nós aguentou quando aquele ménage se modificou e gozamos praticamente todos ao mesmo tempo. Só meu “príncipe” safado que sobrou, mas eu fiz um boquete tão faminto que logo ele esporrou tudo em mim.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui