Como sempre, o chat é uma caixinha de surpresa e você nunca sabe o que vem no próximo atendimento.

Era uma tarde ensolarada e muito quente, entrei para atender um pedido especial, havia recebido várias mensagens do cliente L pedindo que eu entrasse, mas como por várias vezes entrei e não dava certo, estava receosa em entrar sem ter certeza que o mesmo estaria ali. O pedido de L era que eu entrasse de cinta liga preta, meia 7/8, toda produzida e de salto alto, como manda o figurino da sedução.

relatos_de_uma_camgirl_elektra
Hehehehe

Estava combinado que seria naquele dia em plena tarde, eu entrei e ele já estava lá me esperando, conforme combinado. Quando abri a cam, ele me puxou pro privado em menos de um segundo, ansiosa e receosa, pois nunca tinha atendido pedido especial, me mostrei até envergonhada de certa forma. L ligou seu áudio e me deu um oi, ali mesmo com aquela voz grave, mas suave ao mesmo tempo.

Senti o tom de sua voz percorrer todo meu corpo, ele viu naquele instante que eu já estava entregue à ele. Levantei, mostrei como estava e pedi se estava aprovada. L respondeu: “aprovadíssima, branquinha e pequena, meu Deus pequena, como vc é linda”…

Me deitei novamente pra conhecer aquele homem da voz sedutora, mas cheio de mistérios e desejos por mim…

Me contou que me observava há um tempo e que não via a hora de estar comigo, mas que nunca nossos horários batiam, então, estava extasiado por estar ali comigo finalmente a sós.

Eu e L entramos em uma fantasia real versus virtual, o  que nos levou para um café, naquela tarde mesmo, onde eu o encontraria e finalmente realizaríamos todos os nossos desejos.

L me falava: “pequena se te encontro no café não irei somente te cumprimentar, eu te roubo pra mim e não devolvo mais”… aquela nossa sintonia em imaginar situações reais e descobrir que nossas fantasias eram as mesmas foi me deixando extremamente molhada…

Conforme L ia falando, minha mão que estava apoiando meu rosto desceu pelo meu corpo e invadiu minha calcinha, ouvindo ele dizer que queria muito sentir meu beijo e meu corpo colado no dele, eu comecei a me tocar… então, L não resistiu mais e pediu que eu tirasse toda minha roupa, bem devagar, e ficasse somente de meia 7/8… coloquei uma música propícia e dancei pra ele fazendo um strip-tease, me deitei novamente na cama e pelo espelho ele via minha bucetinha toda rosinha e molhada implorando pelo sexo dele, querendo sentir aquela voz me invadir de verdade.

Ele ainda sussurrava porque via que a voz dele mexia comigo, eu já não me contendo mais rebolava, empinava a bundinha pra ele, e olhava na cam bem dentro dos olhos dele, mordendo meus lábios e salivando por ele…

L observava eu me contorcendo, mas não deixava eu me tocar, queria apenas observar cada pedacinho do meu corpo, fiquei de joelhos de frente pra ele, para que admirasse meus seios grandes de biquinhos durinhos e cor de rosa, meu mundo cor de rosa estava mexendo com aquele negão grande, forte, encantador…

Não aguentando mais aquela tortura sensual, sexual, psicológica e física, eu o ataquei… focalizei a cam nos meus seios e lambi os biquinhos um de cada vez… lentamente, olhando sempre nos olhos dele, ali para mim foi o limite e eu já não aguentava mais, precisava sentir ele, e para o L, bom, para o L o meu mundo dominou ele, ele finalmente implorou por mim e me disse: “pequena, venha ser minha, me sinta, goze pra mim, e me deixe gozar em você todinha.”

Ali, eu, Elektra, não me contive, ouvi palavras mágicas, vem ser minha, goze pra mim, isso me deixa louca, lambi meus seios os apertando com força, beliscando os biquinhos e implorando por pau, queria muito gozar, precisava gozar, aquele homem tinha que me devorar…

Me deitei de perninha bem aberta, focalizei na minha bucetinha e abri pra ele, ouvi do outro lado um gemido forte, um berro, um apelo, aquele homem precisava de mim… e meu corpo precisava dele.

Me toquei gostoso, meti somente um dedinho bem devagar, quando tirei mostrei a ele como minha buceta estava molhada e chupei meu dedo pra sentir meu próprio gosto, para que ele se sentisse ali comigo de verdade.

L me pediu para meter com força e sentir ele dentro de mim, não obedeci obviamente, agora era minha vez de torturá-lo, me virei de quatro pra cam, abri minha bundinha e mostrei a ele meu cuzinho rosa, apertadinho, e que piscava sem parar, L não conseguia mais falar, só ouvia ele gemendo e batendo uma bem gostosa olhando pra mim…

Quando ele focalizou no pau dele não resisti, peguei meu consolo fui para frente da cam, e chupei bem babado, cada chupada era uma engasgada, eu cuspia naquele pau gostoso, lambia a cabecinha do pau e engolia ele todinho, ficamos nessa preliminar gostosa por mais de uma hora, eu precisava gozar e melar aquele pau todo.

Coloquei o pau na cama e sentei bem forte, uma estocada só, ele entrou deslizando, tirando todo meu pudor, e revelando toda minha face putinha, vadia, me tornei ali a pequena putinha dele… rebolei gostoso, como se não houvesse amanhã, rebolava e quicava, rebolava e quicava, L não resistiu, pediu pra eu parar, mas eu não obedeci, e finalmente ele me deu sua primeira gozada, junto com a minha…

Mas não deixei ele descansar, continuei quicando enquanto ele observava e dizia você quer mais é… então, me deitei de perninha aberta, apertando meus seios e metendo aquele pau com força, até o consolo sumir dentro da minha buceta, que estava escorrendo de tesão e porra.

Ele então me disse nunca fiquei de pau duro de novo após gozar tão rápido, então mandei: “vem comigo, me devore, acaba comigo”.

Ali deitadinha, entregue àquele homem, continuei metendo e gozei mais duas vezes, uma atrás da outra. Quando me virei de quatro, empinadinha, socando forte e colocando um dedinho no meu cuzinho, ele gozou de novo, me deu leitinho, me lambuzou toda, e eu continuei, já estava com o corpo tremendo e a buceta escorrendo, parei somente quando o orgasmo chegou, gemi, soquei forte, o pau na buceta e o dedo no cuzinho, delirei, berrei, urrei, e finalmente desmaiei de tanto prazer…

Foi um desmaio rápido, um pequeno apagão, eu só ouvia ele chamando: “pequena, pequena, acorda”…

Quando finalmente consegui abrir os olhos e me virar para ele de novo, minhas mãos, braços, e pernas tremiam sem parar, L literalmente acabou comigo, fez eu sentir ele de verdade ali presente me tocando, socando e gozando em mim…

L se tornou meu usuário fixo e alguém com quem a sintonia é muito além de tire a roupa e goze, é algo que toda camgirl no fundo procura, como respeito, educação, prazer, orgasmo e afinidade.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Adoooooorei Elektraaa!!!!

    Que delícia, parece que assisti a tudo isso só lendo seu conto!
    Que tesão, que conectividade gostosa!
    Que riqueza de detalhes, Vc escreve deliciosamente, gata!
    Parabéns e ao L tb por ter tamanha sensibilidade…

    Beijãão, gata, te curto de montão!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui