“Hoje eu quero o seu extremo”

(por Sexy Cah)

“Hoje eu quero o seu extremo, Cah”, ele disse, e um calafrio percorreu minha espinha. Em minutos eu me encontrava nua e espalhando lubrificante por todo meu corpo.

sexycah sexo camerahot
“Um calafrio percorreu minha espinha”

A pele macia e melada, mãos deslizando pelas pernas, eu distribuindo uma quantidade generosa de gel pelos meus peitos e barriga. Espalhando, agarrando meus peitos com força, meu corpo brilhando com a luz.

O tesão crescente de nós dois, eu sentindo minha bucetinha latejar de vontade, quando olhava pra ele me olhando fixamente. Deitei de frente pra câmera, com as pernas bem abertas e despejei uma grande quantidade de lubrificante sob ela.

Deixei gel gelado escorrer por ela, até o cuzinho, me arrepiando toda. Espalhei o gel com as mãos, lambuzando ainda mais a bucetinha, cuzinho, sentindo o grelinho duro ao meu toque.

Fiquei de quatro, como ele me pediu, coloquei um dedo no cuzinho, que já estava cheio de vontade, e socava a medida que via a expressão de desejo dele e quanto que pau dele estava extremamente duro, cheio de tesão.

Com a grande quantidade de gel, passei facilmente pra dois, três, quatro dedos, o tesão só aumentando. Fiquei de joelhos, apoiei-me na parede, com a bunda empinadinha pra ele e foi quando ele pediu “arromba ele pra mim!”.

Não resisti, coloquei o quinto dedo, senti meu cuzinho contrair, eu gemendo alto. Depois consegui relaxar e comecei a socar um pouco, senti minha mão inteira adentrar o meu cu, deixando ele abertinho, ardendo um pouco, mas o tesão não deixava eu parar.

sexycah sexo camerahot 2
“Depois consegui relaxar e comecei a socar um pouco”

Encostei meu corpo na parede e com a outra mão estimulei meu grelinho. E lá estava eu, quase gritando de tesão, com uma mão no cuzinho e a outra estimulando vigorosamente o grelinho. Como sempre, passando dos meus limites com ele, entregue.

Naquele momento só existíamos nós dois no mundo. Não conseguia virar pra ver, mas fechei os olhos e imaginei com clareza a expressão de tesão do H, com a boca aberta, juntando as sobrancelhas, falando “soca forte, filha da puta!” e estimulando com força seu pau.

Com isso em mente, comecei a tremer, sentia ondas de energia saindo do meu grelo e percorrendo meu corpo todo, e assim gozei deliciosamente. Mas o tesão não diminuiu. Não enquanto eu não fizesse o H encher meu cuzinho com o leitinho dele.

Peguei meu brinquedinho, posicionei em embaixo de mim e comecei a quicar nele, sentando até a base e subindo até a cabecinha, indo cada vez mais forte, encarando-o enquanto imaginava o pau dele entrando em mim.

Nosso tesão ultrapassando quilômetros de distância e eu sentindo o calor dele em mim. Depois de não ter mais forças nas pernas, e perceber que ele já estava segurando o gozo há um tempo, deitei de frente pra ele, com as pernas abertas e soquei todo o brinquedo no meu cuzinho, com toda a força que eu tinha no momento, enquanto tocava meu grelo com a outra mão.

sexycah sexo camerahot 3
“Mais uma vez comecei a tremer, sentir aquelas ondas de prazer”

Nós dois nos encarando, um interpretando a expressão já familiar do outro, nos estimulando rapidamente e com toda a força.

Mais uma vez comecei a tremer, sentir aquelas ondas de prazer, dessa vez mais intensas. Enquanto estava no meu ápice, gritei “Aaaaain H” e observei ele gozar junto.

Eu imaginava os jatos de porra invadindo meu cuzinho. Após isso, caímos ofegantes, sorridentes e satisfeitos.

Essa foi mais uma, das incontáveis noites inesquecíveis com um homem que me mostrou o verdadeiro calor de um carioca. Que venham outras incontáveis noites, tardes ou manhãs assim.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui